Arquivo por Autor

Sea Shadow o Navio Stealth   Leave a comment

O Sea Shadow foi um navio Stealth, contruído pelo Lockheed, ou seja não pode ser localizado por radar ou por sonar. Faz isso utilizando seus ângulos retos, que refletem as ondas do radar, tornando-o literalmente “invisivel”. Alem disso deixa pouco rastro pela água, o que dificulta sua localização pelos aviões, faz isso pois se apoia sobre duas superfícies finas.

 O Sea Shadow foi construído em 1985 e foi utilizado em serviço normal, mas em segredo até a sua estreia pública em 1993, para examinar a aplicação da tecnologia stealth em navios da Marinha. Além disso, o navio foi projetado para testar o uso da automação para permitir a redução do tamanho da tripulação. O navio foi criado pela Defense Advanced Research Projects Agency (DARPA), a Marinha dos EUA e da Lockheed . O Sea Shadow foi desenvolvido na Lockheed Redwood City – Califórnia , dentro da Hughes Barge , que funcionava como um flutuante dique seco durante a construção e teste. Ele é por vezes referido como “USS Sea Shadow “, no entanto, esta denominação é inadequada porque ele nunca foi um navio encomendado totalmente pela Marinha dos EUA.

O Sea Shadow tem uma SWATH o casco. Abaixo da água estão submersos cascos duplos, cada um com uma hélice, estabilizador traseiro e interior hidrodinâmico . A parte do navio acima da água está ligada ao casco por meio de duas escoras inclinadas. O projeto SWATH ajuda o navio permanecer estável mesmo em águas muito ruins até o estado do mar 6 (altura de onda de 18 pés (5,5 m). O T-AGOS 19-e-23-classe navios oceanográficos tem herdado o estabilizador e método de canard para ajudar a realizar suas missões de vigilância sensível-estabilidade.

O Sea Shadow tem apenas 12 camas a bordo, um pequeno forno de microondas , uma geladeira e mesa. Nunca houve a intenção de ser capaz de missão e nunca foi encomendado.

O Sea Shadow foi revelado ao público em 1993, e foi abrigado na Estação Naval de San Diego até setembro de 2006, quando foi transferido com o HMB-1 para a Baía de Suisun Reserve Fleet em Benicia, CA . As embarcações estão disponíveis para doação a um museu marítimo.

 Especificações:

Nome:  Sea Shadow

Adquirido: 1 de março de 1985

Desmantelamento: Setembro 2006

Destino: Disponível para doação da Suisun Bay Reserva Frota

Tipo: Navios Stealth

Propulsão: Diesel-elétrico

Velocidade: 28 nós (52 quilômetros por a hora , 32 mph )

Armamento: Nenhum

Anúncios

Publicado 23/04/2011 por 1234rrrss em Ships

Etiquetado com , , ,

YF-17 Cobra   Leave a comment

 

YF-17 Cobra foi um protótipo de avião da Northrop. Foi criado para competir com o YF-16 para virar o F-16 atual, a Northrop se baseou no seu F-5, mais o YF-16 da General Dynamics venceu para o novo caça leve, e se tornou o F-16, porem percebeu-se que o recem criado F-16 tinha péssima habilidade para ser operado de porta-aviões, e a USAF e Marinha dos Estados Unidos optou por utilizar o projeto e torna-lo no F-18, que acabou tendo mais sucesso que o F-16.

Os F-18 foram bons ao ponto de substituírem o F-14 Tomcat que era considerado insubstituivel devido ao seu alto desempenho, mesmo o novo projeto nao despertou grande interesse em possíveis compradores estrangeiros.

Atualmente o F-18 esta sendo substituido pelo F-35 dentro da marinha dos E.U.A.

Especificações:

Fabricante                         Northrop

Primeiro voo                     1974

Tripulação                         1

Comprimento                    17 m

Envergadura                      10,5 m

Altura                                 5 m

Área das asas                     32m2

Tara                                   7800 kg

Peso Total                          10430 kg

Peso bruto máximo            15580 kg

Motores                              2 x General eletric YJ101

Velocidade Máxima          ( Mach:1,95) km/h

Tecto                                  15000 m

Metralhadoras                    M61 Vulcan

Mísseis/ Bombas                2 x AIM – 9 Sidewinder

Publicado 09/04/2011 por 1234rrrss em aeronáutica

Etiquetado com , , , ,

Antonov An-225 o maior avião do mundo   2 comments

O An-225 Mriya é uma aeronave de transporte cargueiro estratégico, sendo construída pela Antonov Design Bureau, Uniã  Soviética. O An-225 é a maior aeronave de asa fixa do mundo. O design, construído para transportar a nave espacial Buran, e foi um desenvolvimento de aumentar o bem-sucedido An-124 Ruslan.

   O Antonov An-225 é disponível comercialmente para transportar cargas enormes, devido ao tamanho único de seu compartimento de carga. Para se ter noção de seu tamanho, ele comportaria, facilmente, mais de mil e quinhentas pessoas. Além disso, ele pode, como já foi mencionado, transportar cargas na parte externa e superior da fuselagem. Sendo usado para transportar cargas dessa forma, a capacidade de carga diminui para um pouco menos de duzentas toneladas. Entretanto, as medidas da carga aumentam. O comprimento, por exemplo, passa de pouco mais de quarenta e quatro metros para mais de setenta. É necessário, apenas, que essa carga tenha um mínimo de aerodinâmica. Actualmente, apenas uma aeronave está operacional.

   O An-225 foi desenhado para o Programa Espacial da União Soviética em substituição ao Myasishchev VM-T. Capaz de transportar os foguetes e o Buran, suas missões e objectivos são praticamente idênticos à Aeronave americana de transporte do Shuttle.

   Voou pela primeira vez no dia 21 de Dezembro de 1988. A aeronave estava em uma demonstração estática no Paris Air Show em 1989 e voou durante os dias liberados ao público no Farnborough Air Show, em 1990. Duas aeronaves foram encomendadas, mas apenas um An-225 ainda permanece em serviço. Este é disponível comercialmente para carregar cargas excessivamente pesadas e grandes, para até 250.000 kg internamente,  ou ainda 200.000 kg na área superior à fuselagem. A carga na parte superior da fuselagem pode ter até 70m de comprimento.

   O segundo An-225 foi construído parcialmente durante o final da década dos anos 80 para o uso do Programa Espacial Soviético. O desenho do segundo An-225 incluía uma porta de carga traseira e uma cauda redesenhada com um único estabilizador vertical, desta forma, sendo mais efetivo para o transporte cargueiro. Após o colapso da União Soviética em 1990 e o cancelamento do Programa Espacial do Buran, este An-225 foi armazenado em 1994. Os seis motores Ivchenko Progress foram removidos de uso nos An-124. O primeiro An-225 foi mais tarde re-motorizado e colocado em serviço.

   No ano de 2000, se tornou aparente a necessidade da capacidade do An-225, e foi decidido em Setembro de 2006, completar a construção do segundo An-225. Esta segunda aeronave tinha encomenda prevista por volta de 2008,  mas foi adiado. Em agosto de 2009, a aeronave não havia sido completada e o trabalho foi abandonado.    

  

   Em setembro de 2001, ele voou transportando uma carga de 253,86 toneladas a uma altitude máxima de dois quilômetros e a uma velocidade média de 763,2 km/h. A distância percorrida foi de mil quilômetros, aproximadamente. 

   Ele é o maior avião em operação, atualmente.

   O único avião que teve a honra de ter mais asa que o An-225 é o Spruce Goose, o Hughes H-4 Hercules. Entretanto, o Spruce Goose é mais curto, mais leve e nunca voou acima dos trinta metros. Aliás, ele fez um único vôo. Já o An-225 executou centenas de vôos.

   O An-225 utiliza mais de 95.000 litros de combustível para percorrer uma distancia de pouco mais de 5.000 quilômetros enquanto o Boeing 747 utiliza 65.000 para percorrer a mesma distância.

Especificações

Tipo de aeronave: Cargueiro

Propulsão: 6 turbinas ZMKB Progress Lotarev D-18T (com 229,50 kN de propulsão cada)

Peso máximo de carga permitido para conseguir decolar: 600 t.

Peso máximo de carga útil (interna ou externa): 250 – 275 t.

Envergadura de asa: 88,4 m

Comprimento: 84 m

Velocidade: 865 km/h

Altura: 18,1 m (excluindo o trem de pouso)

Dimensões de carga: 45,35 m de comprimento; 6,4 m de largura; 4,4 m de altura

Autonomia de voo com carga máxima: 4.500 km

Autonomia de voo com tanques de combustível cheios: 15.400 km

Tripulação: 7 pessoas.

Zona de carga caberia o equivalente a: 1.500 pessoas

 

Click na janela para abrir o vídeo no youtube

Motor Stirling   Leave a comment

 

É um motor de combustão externa. Teoricamente, o motor Stirling é a máquina térmica mais eficiente possível. Alguns protótipos construídos pela empresa holandesa Phillips nos anos 50 e 60 chegaram a índices de 45%, superando facilmente os motores a gasolina, diesel e as máquinas a vapor (eficiência entre 20% e 30%).

Foi aperfeiçoado pelo pastor escocês Robert Stirling em 1816, auxiliado pelo seu irmão engenheiro. Eles visavam a substituição do motor a vapor, com o qual o motor stirling tem grande semelhança estrutural e teórica. No início do século XIX, as máquinas a vapor explodiam com muita frequência, em função da precária tecnologia metalúrgica das caldeiras, que se rompiam quando submetidas à alta pressão.

Sensibilizados com a dor das famílias Motor Stirling é um motor de combustão externa.Teoricamente, o motor Stirling é a máquina dos operários mortos em acidentes, os irmãos Stirling buscaram conceber um mecanismo mais seguro. É referido também como “motor de ar quente”, por utilizar os gases atmosféricos como fluido de trabalho.

Este tipo de motor funciona com um ciclo termodinâmico composto de 4 fases e executado em 2 tempos do pistão: compressão isotérmica (temperatura constante), aquecimento isométrico (volume constante), expansão isotérmica e resfriamento isométrico. Este é o ciclo idealizado (válido para gases perfeitos), que diverge do ciclo real medido por instrumentos. Não obstante, encontra-se muito próximo do chamado Ciclo de Carnot, que estabelece o limite teórico máximo de rendimento das máquinas térmicas.

O motor Stirling surpreende por sua simplicidade, pois consiste de duas câmaras em diferentes temperaturas que aquecem e resfriam um gás de forma alternada, provocando expansão e contração cíclicas, o que faz movimentar dois êmbolos ligados a um eixo comum. A fim de diminuir as perdas térmicas, geralmente é instalado um “regenerador” entre as câmaras quente e fria, onde o calor (que seria rejeitado na câmara fria) fica armazenado para o fase seguinte de aquecimento, incrementando sobremaneira a eficiência termodinâmica. O gás utilizado nos modelos mais simples é o ar (daí a expressão citada acima); hélio ou hidrogênio pressurizado (até 150kgf/cm2.) são empregados nas versões de alta potência e rendimento, por serem gases com condutividade térmica mais elevada e menor viscosidade, isto é, transportam energia térmica (calor) mais rapidamente e têm menor resistência ao escoamento, o que implica menos perdas por atrito. Ao contrário dos motores de combustão interna, o fluido de trabalho nunca deixa o interior do motor; trata-se portanto de uma máquina de ciclo fechado.

Esse tipo de motor apresenta diversas vantagens: é pouco poluente pois a combustão é contínua, e não intermitente como nos motores Ciclo de Otto e Ciclo Diesel, permitindo uma queima mais completa e eficiente do combustível. Por isso é muito silencioso e apresenta baixa vibração (não há “explosão”). É verdadeiramente multi-combustível, pode utilizar praticamente qualquer fonte energética: gasolina, etanol, metanol, gás natural, óleo diesel, biogás, GLP, energia solar, calor geotérmico e outros. Basta gerar uma diferença de temperatura significativa entre a câmara quente e a câmara fria para produzir trabalho (quanto maior a diferença de temperatura, maior é a eficiência do processo e mais compacto o motor).

Sua maior desvantagem consiste na dificuldade de dar partida e variar sua velocidade de rotação rapidamente, sendo complicado seu emprego em veículos como carros e caminhões, embora modelos de propulsão híbrida (elétrico e motor térmico) possam ser viáveis. Também há problemas técnicos a serem resolvidos quanto ao sistema de vedação, que impede o vazamento do fluido de trabalho, particularmente quando se empregam gases inertes e leves (hélio, hidrogênio), dífíceis de serem confinados sob alta pressão sem escaparem para o exterior. Alem disso, por ser uma tecnologia pouco difundida, os motores stirling são mais caros, tanto na aquisição quanto na manutenção.

Um aperfeicoamento do motor Stirling chamada de motor sônico (eficiência de 18%), está em estudo para substituir os geradores termoelétricos (eficiência de 7%), em uso atualmente nas sondas espaciais.

Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Motor_Stirling

Publicado 24/02/2011 por 1234rrrss em Tecnologia

Etiquetado com ,

Hughes H-4 Hercules o maior hidroavião de todos   Leave a comment

O hidroavião Hughes H4 Hercules, conhecido como Spruce Goose, tinha 97,51 m de envergadura e 66,65 m de comprimento. Produto de um projeto controvertido de Howard Hughes, desenvolvido a partir de 1942 com verbas do governo americano para ser usado na Guerra. Com o fim do conflito e sem conseguir terminá-lo, Hughes sofreria ataques e seria investigado pelo Senado. O avião acabou realizando um único voo em 1947, como esforço de Hughes para continuar com o projeto, mas as verbas foram definitivamente suspensas logo depois.

O Flying Boat de Hughes pode ainda ser visitado no museu de Aviação Evergreen, em McMinnville, Oregon, nos Estados Unidos.

Especificações:

Tipo                                      Hidroavião de transporte muito pesado

Fabricante                             Howard Hughes

Capacidade                           750 passageiros

Comprimento                        66,65 metros

Envergadura                         97,54 metros

Altura                                    25,15 metros

Velocidade máxima              320 km/h

Altura máxima de vôo          6.370 metros

Peso máx. Decolagem          181.500 kg

Aqui vai um vídeo do Hughes H4 realizando seu único voo.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hughes_H-4_Hercules

O maior Helicóptero do mundo o Mil Mi-12   Leave a comment

 

O Helicóptero soviético Mil Mi-12 também conhecido como W-12, é o maior helicóptero já construído.

O MI-12 utiliza o único esquema de dois rotores transversais conhecidos. Foram também construídos por Mil e eliminam o uso do rotor traseiro. Estes rotores são os mesmos utilizados no Mil Mi-6 e aqui duplicados (Mi-12).

A produção do protótipo do Mi-12 começou em 1965 conseguindo no primeiro teste levantar não menos que 35,000 kg, em 10 de Julho de 1968 iniciaram-se vôos operacionais.Em Fevereiro de 1969, o protótipo levantou uma carga de 31,030 kg a uma altura de 3.91m. Em Agosto do mesmo ano, o Mi-12 ergueu 54,205 kg (88,636 lb) a uma altura de 2,255m (7,398 pés), um Record mundial.

Outro Mi-12 com registro CCCP-21142 / H-833 foi construído e demonstrado na Europa inclusive no show de Le Bourget, Paris, em 1971. Apesar disto o helicóptero não alcançou suas especificações de projeto e o programa foi cancelado com apenas três aeronaves produzidas.

Isto ocorreu porque as autoridaes soviéticas consideraram o projeto uma falha, devido ao fato de a aeronave ser de difícil manobrilidade e operação.

Algumas fontes mencionam um quarto protótipo de MI-12, que caiu em testes, mas isto não foi confirmado por fontes oficiais.

Um dos Mi-12 remanescentes esta em exposição no Museu Monino da Força Aérea Russa (50 km ao leste de Moscou). O outro está na fábrica de helicópteros Michail Leontjewitsch Mil em Lyubertsy-Panki próximo a Moscou

Especificações

Tripulação: Oito

Capacidade: Até 50,000 kg de carga

Comprimento: 50.00 m (121 ft 4 in)

Diâmetro do rotor: 2x 50.00 m (150 ft 10 in)

Altura: 13.50 m (41 ft 0 in)

Área do disco: 1,924 m² (20,700 ft²)

peso vazio: 79,100 kg (152,020 lb)

Peso com carga: 100,000 kg (213,400 lb)

Peso máximo para decolagem: 105,000 kg (231,000 lb)

Motores: 4× Soloviev D-25VF de eixo turbinado, 4,048 kW (6,497 shp) cada

Velocidade máxima: 260 km/h (163 mph)

Desempenho

Alcance: 1,000 km (625 miles)

Teto de serviço: 3,500 m (11,480 ft)

Razão de subida: 0.9 m/s (177 ft/min)

Carga do disco: 50 kg/m² (10 lb/ft²)

Potência/peso: 0.20 kW/kg (0.12 hp/lb)

Aqui  um vídeo que postei sobre ele no youtube

Convair Sea Dart F2Y   Leave a comment

 

O Convair Sea Dart F2Y foi um avião militar , que usava hidro-skis para a decolagem. Ele só voou como um protótipo, e nunca entrou em produção, mas ainda é único hidroavião a ultrapassar a velocidade do som.

O avião era para ser um lutador de asa delta com duplo retrátil hidro-skis para decolagem e pouso. Quando parado ou se movendo lentamente na água, o Sea Dart flutuava com o bordo de fuga das asas tocando a água. Os esquis não eram erguidos  até que a aeronave atingisse cerca de 16 km / h durante a sua corrida de decolagem.

O força era para ser um par de pós-combustão Westinghouse XJ46-WE-02 turbojatos, alimentados a partir de entradas montado acima da asas para evitar a ingestão de spray.

O protótipo único remanescente foi equipado com uma configuração experimental single-ski, que provou ser mais bem-sucedida, enquanto a aeronave do segundo teste testou (sem sucesso) um novo design duplo-ski. Teste com várias outras configurações de esqui experimental continuaram com o protótipo até 1957, quando foi paralizado o projeto.

Os EUA não foi o único país a considerar o hydroski. A empresa Saunders Roe, do Reino Unido, que já tinha construído um avião de caça experimental barco voador, apresentou um projeto para um lutador de esqui equipado, mas não teve muito sucesso tbm

Os motores de fraca potência fez o caça ser lento, e os hidro-skis não foram tão bem sucedidos como o esperado, eles criaram a vibração  violência durante a decolagem e pouso, apesar dosa sistemas de absorção de choque que foram colocados.

Um novo protótipo foi projetado. Este foi equipado com os motores J46, que apresentaram desempenho abaixo da especificação. No entanto, velocidades superiores a Mach 1 foram obtidas, em um mergulho raso com esta aeronave, tornando-se o único hidroavião supersónico . Em 04 novembro de 1954, a Sea Dart, Buno 135762, desintegrou em pleno ar sobre baía de San Diego, Califórnia, matando o piloto de teste da Convair E. Richbourg quando ele inadvertidamente ultrapassou os limites da célula.

Especificações da aeronáve:

  • Tripulação: 1
  • Duração: 52 pés 7 (16 m)
  • Envergadura: 33 ft 8 (10,3 m)
  • Altura: 16 pés 2 (4,9 m)
  • Área da asa: 568 ft ² (53 m²)
  • Peso vazio: £ 12.625 (5,730 kg)
  • Peso carregado: £ 16.500 (7,480 kg)
  • Peso máximo de decolagem: £ 21.500 (9,750 kg)
  • Powerplant: 2 × Westinghouse J46-WE-2 {testbed:-WE-32 w / 3400 lbf cada. J43[5]} turbojatos, 6100.[6] lbf (27 kN) cada

Desempenho (estimada)

  • Velocidade máxima: 825 mph (1.325 km / h)
  • Faixa: 513 milhas (446 nm, 826 km)
  • Teto de serviço: 54.800 ft (16,700 m)
  • Taxa de subida: 17.100 m / min (86,7 m / s)
  • Carregamento da asa: £ 29,0 / km ² (142 kg / m²)
  • Empuxo / peso: 0,56 (máximo carregado) 0,96 (vazio)

Armamento

  • Guns: 4 × 20 mm (0,79 in) canhão
  • Rockets: foguetes não guiados
  • Mísseis: 2 × para mísseis ar-ar

Click na janela para abrir o video

Publicado 24/11/2010 por 1234rrrss em aeronáutica

Etiquetado com , ,